O crescimento das plantas é determinado pelos elementos presentes no solo nas quantidades mínimas adequadas, dessa forma a adição de macronutrientes essenciais como azoto, fósforo e potássio, garantem o melhor desenvolvimento das plantas. A adubação é a parte agrícola que consiste no fornecimento de adubos ou fertilizantes ao solo com o objetivo de recuperar ou conservar a sua fertilidade.

Fertilizantes são essenciais em qualquer lavoura, de uma forma geral, as plantas necessitam de um vasto conjunto de elementos para um correto desenvolvimento. Enquanto as plantas retiram do ar o carbono, o oxigênio e o hidrogênio, os outros elementos devem estar disponíveis para as plantas a partir do solo, naturalmente ou por meio dos adubos e fertilizantes.

  • Adubação do Solo: Quando for plantar uma nova muda é aconselhável que você revolva bastante a terra em volta do lugar onde ela crescerá com o intuito de torná-la mais solta e facilitar o crescimento das raízes e absorção de nutrientes, depois disso deve-se remover parte da terra, misturá-la ao adubo e devolvê-la ao local. Aconselha-se para a maioria das culturas cerca de 1-3 de adubo orgânico dissolvido na terra, além de mais um pouco de adubo químico para suprir deficiência. Se for realizar uma adubação superficial direta no solo depois do plantio, não coloque o adubo encostado ao caule, coloque ele a uma certa distância da planta de tal maneira que conforme ocorrer as regas ele seja levado lentamente para a raiz.
  • Adubação por Rega: Alguns adubos podem ser aplicados no solo através da sua dissolução na água utilizada durante a rega, basta dissolver a quantidade aconselhada pelo manual do produto e regar a terra com a solução, esse tipo de adubo é menos duradouro que o misturado ao solo.
  • Adubação Foliar: É a forma mais cara de adubação uma vez que ela tem ação muito rápida e nada duradoura, graças a isso é utilizada de forma auxiliar apenas em culturas onde o foco é produzir boas frutas ou flores vividas. Sua absorção pode ocorrer quase de forma imediata pelas folhas das plantas, mas apenas se o nível de acidez da solução for correta para o tipo de planta, por isso, deve-se utilizar o borrifamento de fertilizantes apenas com produtos apropriados à espécie que está sendo criada e na concentração adequada.

Lembrando-se que podemos combinar as diferentes formas de adubação citadas acima no intuito de obter melhores resultados para certas culturas.

Alguns conselhos úteis:

Seja qual for o tipo de adubo que pretenda utilizar, químico ou orgânico, certifique-se que a sua composição está de acordo com as necessidades específicas de cada tipo de planta.

Se optar por um adubo químico, respeite criteriosamente as doses indicadas nas embalagens. Nestas situações pensar que mais é melhor é um erro que pode trazer consequências graves para as plantas e para o solo.

Um solo saudável, com propriedades físicas, químicas e biológicas adequadas, é uma boa base para qualquer cultura, pelo que é aconselhável a incorporação de um substrato rico em valores nutritivos.

 

Falamos mais sobre adubos e fertilizantes aqui

 

Compartilhe esse post!