Segundo a Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda), em janeiro desse ano forem entregues 2,44 milhões de toneladas de adubos, já em fevereiro houve uma queda de 13%, totalizando 2,12 mihões de toneladas. Esse primeiro bimestre de 2018 teve uma queda de 1,9% em comparação com o mesmo período de 2017. “Com relação à demanda, a expectativa para 2018 é de um volume entre 34 e 35 milhões de toneladas entregues ao consumidor final, frente ao recorde no ano passado, de 34,44 milhões de toneladas.¹”

Os Fertilizantes ou Adubos são qualquer tipo de substância aplicada ao solo ou tecidos vegetais para prover um ou mais nutrientes essenciais ao crescimento das plantas. São aplicados na agricultura com o intuito de melhorar a produção. Eles são definidos na legislação brasileira como substâncias minerais ou orgânicas naturais ou sintéticas.

Os elementos químicos  presentes nos fertilizantes (conforme a quantidade ou proporção) são divididos em macronutrientes primários (nitrogênio, fósforo e potássio), macronutrientes secundários (cálcio, magnésio e enxofre) e micronutrientes (boro, cloro, cobre, ferro, manganês, molibdênio, zinco, sódio, silício e cobalto)

As melhores práticas de manejo agrícola são aquelas que  tendem a reduzir as perdas do solo e diminuir os efeitos ambientais adversos na qualidade da água, causados por nutrientes, resíduos animais e sedimentos. O setor de fertilizantes atualmente já participa das práticas de manejo agrícola para melhorar o uso do nutriente de forma eficiente e para proteção ambiental, com a aplicação do produto certo, na medida correta, em época e local adequado. Não existe um conjunto universal, sendo específicas para cada local e culturas que variam de uma propriedade agrícola a outra, dependendo de fatores como solo, condições climáticas, culturas, histórico de cultivo e habilidade de manejo.

A aplicação de todo e qualquer fertilizante requer uma avaliação prévia das condições do solo, através da análise de solo e de possíveis sintomas de má nutrição vegetal, há como determinar o tipo de fertilizante necessário, bem como sua quantidade. O excesso de adubo pode ser tão nocivo à planta quanto a sua carência. O manejo adequado do solo também influencia na eficiência dos fertilizantes, evitando perdas por erosão ou lixiviação.

 

Fontes: https://sfagro.uol.com.br/
http://www.canalrural.com.br/

 

¹http://www.canalrural.com.br/noticias/agricultura/vendas-fertilizantes-caem-fevereiro-72982
Compartilhe esse post!