O solo é um recurso natural finito e não renovável, apesar de se poder usar diversas vezes para atividades produtivas a sua má utilização e conservação pode torná-lo infértil.

Muito mais do que apenas chão,  ele é responsável por todas as atividades  desenvolvidas pelo homem, desde atividade simples como o próprio movimentar de um local para o outro, como meios de subsistências das populações através das atividades agrícolas. Os solos não são todos iguais e podem variar mesmo em pequenos espaços do terreno. Possuem cores, texturas e estruturas bastante diversificadas devido à ação combinada dos elementos e mecanismos de produção dos solos. A quantidade e intensidade das chuvas, os níveis de radiação solar, a temperatura num dado ambiente, a umidade do terreno, a declividade da área, bem como a existência e o tipo plantas do local, são fatores que interferem nas suas características. Além disso, podem ainda possuir características dos seus materiais originários, ou seja, das rochas básicas de sua formação, as quais também podem ser bem diferenciadas. O solo que recobre a terra é constituído de diferentes tipos de substâncias ,como minerais, água e gás.

Características como cor, porosidade, permeabilidade e textura influem no tipo uso que se faz do mesmo.

  • Cor: A cor do solo dependendo do material de origem e do conteúdo de matéria orgânica (elementos vivos e não vivos compostos de carbono). Quanto mais escuro for, maior quantidade de matéria orgânica ele possui. Tons avermelhados ou amarelados estão associados a óxidos de ferro e, por isso, podem representar um terreno bom para plantação. No Brasil, esse tipo de solo é encontrado principalmente nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul. 
  • Porosidade: A porosidade se refere à porção do espaço ocupado por líquidos e gases em relação a massa do solo, ou seja, diz respeito aos “vazios”. Essa característica resulta em maior ou menor circulação de água. Se há mais poros, a penetração da água é maior e alcança camadas mais profundas, o que diminuiu a umidade do solo.
  • Textura: Na ordem do menor para o maior diâmetro de suas partículas, o solo pode ser argiloso, de silte (fragmentos de rocha ou partículas surgidas da destruição de outras rochas) arenoso ou de pedregulho (calcário).

O argiloso é menos permeável e, por isso, armazena mais água e contém grande quantidade de óxidos de alumínio e ferro. A terra roxa é um solo argiloso, sendo considerada boa para a prática da agricultura.

O de silte tem partículas leves e pequenas e normalmente podem sofrer erosão ,por isso, não pode ser usado na agricultura.

O solo arenoso, comum principalmente no Nordeste, tem boa porosidade e é bastante permeável. A penetração da água até as camadas mais profundas faz com que ele seja mais seco. As plantas e micro organismos têm mais dificuldade para crescer nessas condições.

O solo de pedregulho ou calcário é  formado por partículas de rocha e, por isso, não é adequado para agricultura. No entanto, o pó branco ou amarelado retirado  dele é usado na agricultura para tirar a acidez do solo em que haverá cultivo.

conservação do solo

tipos de solo

Fonte: http://www.portalbrasil.net/brasil_solo.htm

Quando queremos usar uma determinada área para a agricultura é importante  fazer uma análise do solo, esse processo pode melhorar a produtividade do terreno e diminuir o desperdício com a adubação desnecessária. A lavoura também precisa ter seus elementos essenciais em quantidades corretas para que as plantas possam se desenvolver e produzir seus frutos, além de evitar contrair doenças devido à carência desses nutrientes. Essa análise  do solo é recomendada pelos agrônomos que seja feito logo depois da colheita, para qualquer cultivo, incluindo os orgânicos. O correto seria que o produtor fizesse um planejamento e assim que terminasse a colheita da safra já providenciasse a análise.

De acordo com os profissionais, existem dois tipos de análises de solo: a física e a química ( microbiológica). A primeira mostra o tipo de solo, ou seja a quantidade existente de argila, areia e silte. Já a segunda, apresenta a composição de minerais do solo. As duas são importantes, mas é a análise química que irá mostrar  se é necessário fazer a adubação de manutenção e também a quantidade de nutrientes que será necessário aplicar.

Falamos sobre a importância do solo para os imóveis rurais em um dos nossos vídeos do Conteúdo da terra, veja o vídeo aqui

Compartilhe esse post!