A três meses do início da colheita de 2017, os exportadores brasileiros de café já emitem um alerta para o próximo ano. Com a redução da oferta do produto em 2016, resultado de uma seca que diminuiu a produção nos cafezais, e a bienalidade negativa esperada para este ano , o país poderá ter problemas na entressafra de 2018, disse o presidente do Conselho de Exportadores de Café (Cecafé), Nelson Carvalhaes. Ele e outros dirigentes da entidade apresentaram à imprensa, nesta quarta-feira (11/1), o balanço das exportações no ano passado e lançaram as primeiras expectativas para 2017 e 2018. De acordo com Carvalhaes, o primeiro e segundo trimestres do ano que vem serão difíceis, “porque já estamos trabalhando com estoques muito baixos e sem dúvida ficarão muito reduzidos para a entressafra”, disse o executivo.

O Cecafé não faz estimativas para as reservas de café do Brasil, mas acredita que neste ano, com uma produção sazonalmente menor, o país tende a continuar ‘queimando’ parte dos estoques para abastecer o mercado, o que deve manter os preços do grão em alta. Em dezembro de 2015, os estoques públicos de café do Brasil eram 1,6 milhão sacas. O volume caiu 1 milhão de sacas, para 600 mil sacas. Os dados são da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

 

Fonte: Globo Rural