A australiana Nufarm anuncia que iniciou no Brasil a comercialização de seu novo herbicida ZethaMaxx®. Considerado por agrônomos e especialistas um produto inovador, desenvolvido com tecnologia de ponta, o agroquímico é recomendado no controle de plantas daninhas da soja e do feijão, na dessecação e em pré-emergência, e recebeu este ano o registro oficial dos órgãos reguladores.

De acordo com o gerente de herbicidas e adjuvantes da Nufarm, Carlos Mella, o novo herbicida é formulado com ingredientes ativos dotados de diferentes mecanismos de ação. Por isso, assinala o engenheiro agrônomo, favorece a preservação da molécula do glifosato.

“Com a sobreposição de semeadura de culturas ‘RR’ no Brasil, a seleção de plantas resistentes e tolerantes aumentou bastante. Hoje, temos oito espécies resistentes ao glifosato. Para evitar a intensificação desse problema, é necessário que o agricultor use herbicidas pré-emergentes com diferentes mecanismos de ação”, explica Mella.

Segundo o executivo, resultados colhidos em campos demonstrativos montados pela empresa apontaram que ZethaMaxx® atua com eficiência sobre plantas monocotiledôneas e dicotiledôneas. “Trata-se de um produto capaz de resgatar aos agricultores a tranquilidade no manejo de invasoras da soja e do feijão”, enfatiza Mella. “Graças a seu longo período residual e amplo espectro de controle, facilita o manejo em pós-emergência e favorece para que a cultura expresse o seu máximo potencial produtivo”, diz.

Em seu ano fiscal encerrado em julho último, a Nufarm movimentou acima de US$ 2 bilhões em vendas globais, sendo a América do Sul responsável por quase 30% desse montante. A expectativa da empresa para o mercado brasileiro é crescer entre 8% e 10% ao final de 2016, focada nas culturas de soja, milho, pastagem, cereais, hortifrútis, café e citros.

Fonte: Mais Soja