O Governo Federal está formulando novas medidas de intervenção para minimizar a volatilidade e garantir preços mínimos no mercado doméstico de commodities agrícolas. “As políticas existentes não estão preparadas para coibir esta volatilidade”, disse o secretário de Política Agrícola, André Nassar, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Nassar participou nesta quinta-feira (16) do seminário “Agricultura no Brasil, Perspectivas e Desafios”, da FGV Projetos, em São Paulo. Segundo ele, é prioridade zero da secretaria formular essas novas políticas que devem favorecer em um primeiro momento as cultura do algodão e café. Ele não deu detalhes sobre os planos, mas disse que esses mecanismos devem ser implementados em 2016.

O secretário afirmou, ainda, que é preciso encontrar novas fontes de crédito, além do oficial, para financiar a agricultura. “Se a produção, principalmente de soja e milho, crescer de forma agressiva, com o melhoramento da logística do país, é muito provável que o crédito não acompanhe”, disse.

Nos últimos anos, a garantia de preço mínimo é realizada por meio de mecanismos como Aquisições do Governo Federal (AGF), aplicadas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), para recompor os estoques reguladores; Prêmio Equalizador Pago ao Produtor (Pepro), por meio do qual o governo “paga” ao agricultor a diferença entre o preço mínimo e o valor de mercado; e o Prêmio de Escoamento de Produto (PEP), subsídio para reduzir o custo do frete.

 

Fonte: Estadão Conteúdo