A segunda safra de milho do Brasil deverá totalizar um recorde de 55,72 milhões de toneladas na temporada 2014/15, com crescimento de 23,2 por cento sobre o total do ciclo anterior, devido ao tempo favorável para as lavouras na maior parte do país e ao crescimento no plantio, previu na sexta-feira a consultoria Safras & Mercado.

A consultoria elevou sua projeção em cerca de 3 milhões de toneladas em relação à estimativa realizada em abril. A nova previsão foi feita em um momento em que a colheita já se desenvolve nas principais regiões produtoras.

A colheita de milho do Mato Grosso, principal Estado produtor do cereal, acelerou na última semana, alcançando 12,8 por cento da área semeada, informou o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea).

A produtividade média das lavouras no Brasil poderá atingir 5.911 quilos por hectare, superando amplamente os 5.674 quilos por hectare do ano passado, disse o analista da Safras Paulo Molinari. A consultoria estima também um aumento de 18,3 por cento na área plantada ante a temporada passada, para 9,426 milhões de hectares.

Molinari disse que o Mato Grosso deve liderar a produção colhendo 19,872 milhões de toneladas, ante as 16,835 milhões de toneladas registradas no ano passado. O Paraná, segundo maior produtor, deverá produzir históricas 12,470 milhões de toneladas, contra 10,854 milhões de toneladas do ano anterior.

Incluindo a primeira safra, colhida no verão, o Brasil poderia registrar uma produção total recorde do cereal em 14/15. Mas a Safras não divulgou um número incluindo as duas colheitas, o que deve ser feito na próxima semana.

O número total da estimativa de abril era de 82,3 milhões de toneladas, ainda com uma segunda safra de 52,8 milhões de toneladas.

Fonte: Reuters