Você sabe o que é RPPN? Pois o programa Mercado da Terra desta sexta-feira apresentou uma propriedade com essa característica, que significa Reserva Particular do Patrimônio Natural – ou seja, uma categoria de unidade de conservação criada por vontade do proprietário rural, sem a desapropriação da terra. É ele quem decide conservar a natureza naquela área. A Fazenda Arara Azul, de Corumbá (MS), se encaixa neste perfil.

Com 3.560 hectares de área total e 2.000 he de RPPN, a Arara Azul é rica em recursos hídricos, principalmente por se localizar em uma região com características pantaneiras. A presença de animais silvestres, o relevo plano, a diversidade e a beleza da flora do Cerrado brasileiro possibilitam o desenvolvimento do ecoturismo na propriedade. Outra vantagem para o investidor é que os outros 1.500 hectares, fora da reserva particular, podem ser aproveitados para a pecuária.

Segundo Newton Cavalcanti, especialista em comercialização de imóveis rurais, “é importante ressaltar que o empresário que adquirir a área também tem a opção de usá-la para compensação ambiental e reserva de carbono”. A vegetação está intacta, nunca foi desmatada.

A fazenda fica a 545 quilômetros da capital Campo Grande e está próxima à BR-262. O acesso à área dá-se por meio fluvial – são 40min de barco subindo o Rio Paraguai -, e aéreo – há uma pista de pouso na propriedade que pode ser reativada.

Quanto ao pagamento, Cavalcanti explica que o investidor precisar dar uma entrada de 40%, mas o restante é totalmente negociável com o proprietário. Aceita gado magro na transação.

Do Mato Grosso do Sul vamos ao extremo Oeste baiano, onde fica o município de São Desidério. Entre as características da região, destaque para a disponibilidade hídrica, excelente topografia e clima ideal para a agricultura. Na Fazenda Canta Galo, a agricultura em consórcio com a pecuária é uma realidade – são 750 hectares de solo fértil e banhados pelo Rio Galheirão. Luís Henrique Pereira, consultor da Nilo Imóveis, destaca as atribuições da propriedade.

– O Oeste da Bahia é muito farto e possibilita a produção de várias culturas. Nós temos o café, o algodão, o milho, a soja, então é bem diversificado. O solo é arenoso, a topografia é plana, e a passagem do Rio Galheirão nos fundos da fazenda favorece a implantação do sistema de pivô central. Eletricidade também não é problema: a energia passa dentro da propriedade – salienta Pereira.

A localização da Canta Galo é privilegiada: fica às margens da rodovia BA-462 – que liga a Roda Velha e Barreiras – e em breve estará a menos de dois quilômetros do novo Porto Seco. A propriedade possui reserva legal averbada, georreferenciamento, está com a documentação em dia e a negociação inclui parcelamento em soja.

Compartilhe esse post!