O primeiro levantamento de cana-de-açúcar da safra 2015/2016 indica que a produção no país pode chegar a 654,6 milhões de toneladas. O estudo foi divulgado nesta segunda-feira, dia 13 de abril, pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Esse valor é 3,1% superior, quando comparado aos 634,8 milhões de toneladas da safra anterior.

Questões climáticas como falta de chuvas, principalmente na região Sudeste, afetaram a produtividade da safra anterior. Já para a safra atual, a perspectiva de aumento (3,1%) é reflexo da recuperação desta variável (2,4%). O estudo mostra também que a área de colheita teve um acréscimo de apenas 0,7%.

A maior parte da cana-de-açúcar colhida vai ser destinada à fabricação de etanol, o que representa 56,2% da produção. O etanol total deve ter um aumento de 1,9%, passando de 28,66 para 29,20 bilhões de litros, com o hidratado, utilizado nos veículos “flex-fuel”, reduzindo 2,8%. Sai da marca de 16,9 bilhões para 16,5 bilhões de litros. Já o anidro, destinado à mistura com gasolina, apresenta aumento de 8,6%.

Está prevista, para a produção de açúcar, um aumento de 5%, devendo passar das 35,56 milhões de toneladas para 37,35 milhões.

Fontes: Canal do Produtor e Conab