O Banco do Brasil informou, nesta quinta-feira (16), que está disponível uma linha de crédito para o pré-custeio da safra 2015/2016 de R$ 7 bilhões, com a taxa de juros que começa em 9,5% ao ano. São R$ 4 bilhões de recursos que “sobraram” da modalidade de comercialização do Plano Safra 2014/2015 e outros R$ 3 bilhões de recursos próprios. O produtor rural, segundo a instituição, tem até julho para recorrer a esse financiamento.

O vice-presidente de Agronegócios do Banco do Brasil, Osmar Dias, afirmou mais cedo, na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado, que a instituição teria somente R$ 4 bilhões disponíveis, dos R$ 7 bilhões prometidos pela ministra da Agricultura Kátia Abreu no início desta semana. No entanto, a declaração foi justificada dizendo que a referência de Dias foi aos recursos do Plano Safra atual.

– Não vamos enrolar porque os números mostram. Não vamos dizer que tem dinheiro para financiar tudo que quiserem, porque não tem. Houve desgaste na poupança e queda nos depósitos à vista – disse o executivo na Comissão. O Banco do Brasil informou também que não há a previsão da liberação de novos recursos.

Diante desse cenário, a instituição juntou os R$ 4 bilhões de recursos controlados disponíveis – que teriam taxas de juros entre 5,5% e 6,5% – com outros R$ 3 bilhões de taxa livre, obtidos através de outras fontes como a LCA (Letra de Crédito do Agronegócio). Nesse mix, as operações são feitas com taxa de juros entre 9,5% e 10,5%, dependendo do risco do produtor.

– Não gostaríamos de estar aplicando essa taxa, mas achamos que é melhor aumentar os juros e atender todos que precisam. Só R$ 4 bilhões a gente atenderia a 6,5%, mas não atenderia a todos os agricultores que precisam – explica Dias.

Osmar Dias defendeu, também, que o volume de recursos para o Plano Safra seja o mesmo do atual plano (R$ 156 bilhões) com correção da inflação e que as taxas de juros não passem de 8,5%. A ministra da Agricultura, Kátia Abreu, já deu a entender que os recursos devem ser os mesmos e já garantiu que os juros subirão de acordo com a taxa básica de juros (Selic), podendo ter alta de até 3%.

– O Banco já adotou medidas para estimular a poupança. Acredito que quando o Plano Safra for anunciado, estaremos em outro cenário de poupança e depósito à vista – concluiu.

Nesta terça-feira, dia 14, Kátia Abreu anunciou a liberação de R$ 9 bilhões em recursos para o pré-custeio da safra 2015/2016, sendo R$ 2 bilhões da Caixa Econômica Federal e mais R$ 7 bilhões do Banco do Brasil. O anúncio foi feito depois de uma reunião com o Ministério da Fazenda.

Na Agência Senado: Ana Amélia registra garantia de liberação de recursos do seguro rural

A senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS) destacou em pronunciamento no Plenário, nesta quinta-feira (19), a garantia de liberação de R$ 300 milhões para custeio do seguro agrícola, e a destinação ao setor dos recursos captados por meio das aplicações em Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) – título livre de tributação e com rendimento superior à poupança para o investidor.

As duas medidas foram anunciadas pela ministra da Agricultura, a senadora licenciada Kátia Abreu (PMDB-TO), em audiência pública realizada esta manhã pela Comissão de Agricultura, que é presidida pela Ana Amélia.

A senadora gaúcha elogiou o desempenho da ministra:

— A ministra Kátia Abreu demonstrou uma visão muito clara das necessidades na área da logística e, sobretudo, numa área sensível e prioritária, que é a defesa sanitária vegetal e animal, de modernização dos sistemas para que o Brasil se ajuste às regras internacionais de qualidade da produção. Ela trouxe vários elementos que foram confortadores para a produção agropecuária brasileira, que é o motor que sustenta a economia do nosso país – afirmou.

Fontes: Canal Rural e Notícias Agrícolas