A comercialização da safra 2014/15 de soja do Brasil avançou no último mês, terminando fevereiro com vendas de 40 por cento da produção estimada, segundo levantamento da consultoria AgRural. Após negociações lentas em janeiro, o mês passado registrou um avanço de sete pontos percentuais nos acordos, com a alta dos contratos futuros da soja em Chicago e a valorização do dólar frente ao real estimulando a comercialização.

O dólar oscilou recentemente no maior valor frente ao real em mais de uma década, disparando até negócios da próxima safra (2015/16) no Centro-Oeste, com entrega daqui um ano. Lotes rodaram em Nova Mutum (MT) a 52 reais/saca e em Rio Verde (GO) a 57 reais.

“Menos incertezas em relação ao tamanho da safra também contribuíram para a retomada do ritmo”, disse a consultoria AgRural, que estima a produção brasileira em um recorde de 91,9 milhões de toneladas. A região Centro-Oeste terminou fevereiro com 49 por cento de sua safra 14/15 vendida, ante 41 por cento há um mês e 67 por cento há um ano.

A AgRural estimou que os produtores de soja do Brasil tinham colhido, até a última sexta-feira, 29 por cento da área total de 31,5 milhões de hectares.

Fonte: Reuters